Pesquisar
Close this search box.
Mato Grosso do Sul, 15 de abril de 2024
Campo Grande/MS
Fuente de datos meteorológicos: clima en Campo Grande a 30 días

ONU confirma Belém do Pará como sede da COP 30, em 2025

Anúncio foi feito pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva nesta sexta-feira (26), no Twitter; governador paraense festejou escolha

Créditos: Reprodução/Twitter

A Organização das Nações Unidas (ONU) escolheu a cidade de Belém, no Pará, para sediar a COP 30, próxima edição da cúpula mundial sobre o meio ambiente. O evento está previsto para acontecer em 2025. A informação foi confirmada nesta sexta-feira (26) pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Ao lado do ministro das Relações Exteriores, Mauro Vieira, Lula chamou a escolha de Belém para abrigar a conferência como “notícia extraordinária”. Eles se reuniram em Brasília (DF) com o governador do Pará, Helder Barbalho (MDB), para tratar do tema.

Segundo o presidente da República, a COP em Belém vai servir para que lideranças mundiais conheçam a Amazônia e suas florestas, rios e fauna.

“Uma coisa importante, que convenceu as pessoas a aprovarem o estado do Pará, é que eu dizia que já participei de COPs no Egito, em Paris e em Copenhague. E o pessoal só fala da Amazônia. Por que, então, não fazer a COP no estado da Amazônia para vocês conhecerem a Amazônia?”, disse, em vídeo publicado no Twitter.

O chanceler Mauro Vieira revelou que a capital paraense foi definida como sede da COP pela ONU em 18 de maio. “Será a primeira vez que teremos uma reunião dessa magnitude, sobre mudança de clima, no Brasil – e na cidade de Belém”, apontou.

“Vão ter muitos governantes e gente do mundo inteiro maravilhados com a cidade de Belém”, concordou.

Histórico

Lula passou a defender publicamente o Brasil como sede da COP em novembro do ano passado, durante a edição do ano passado do fórum, no Egito. O governo do Pará, então, passou a endossar a ideia. A indicação formal foi encaminhada à ONU em janeiro.

“(A escolha de Belém como sede da COP) aumenta nossa responsabilidade de mostrar que o Brasil está preparado e, acima de tudo, a responsabilidade da agenda ambiental, conciliando os amazônidas de nossa região e o respeito ao meio ambiente”, avaliou Barbalho.

Suas preferências de cookies

Usamos cookies para otimizar nosso site e coletar estatísticas de uso.