Pesquisar
Close this search box.
Mato Grosso do Sul, 13 de abril de 2024
Campo Grande/MS
Fuente de datos meteorológicos: clima en Campo Grande a 30 días

MS recebe 1º ecossistema de produção de biometano do Brasil a partir de dejetos suínos

Mato Grosso do Sul está cada vez mais perto de atingir a meta de tornar-se Estado Carbono Neutro em 2023. Após gerar energia solar, biomassa e mais.

Fotos: Divulgação

Mato Grosso do Sul está cada vez mais perto de atingir a meta de tornar-se Estado Carbono Neutro em 2023. Após gerar energia solar, biomassa e mais recentemente o biogás, agora o Estado entra na era do biometano produzido a partir de dejetos de suínos. Um ecossistema inovador para produção do gás, que é o primeiro do tipo instalado no Brasil, foi inaugurado na terça-feira (18) na SF Agropecuária, em Brasilândia.

Equipe da Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Inovação (Semadesc), o gestor de suínos Rômulo Gouveia e o gestor de aves Rubens Flávio Mello Correa participaram do lançamento do evento, que contou com a chegada do primeiro trator movido a biometano do País.

A fazenda é uma das pioneiras na utilização de dejetos de suínos no abastecimento de energia por meio de geração distribuída e abate 188 mil animais por ano e conta com diversas atividades e um portfólio diversificado. Entre essas atividades estão suinocultura, pecuária, agricultura e geração de energia elétrica. O suinocultor Fábio Barros, diretor da SF Agropecuária, é o idealizador de todo o trabalho.

“Estamos com este sistema no caminho do Carbono Neutro”, citou, lembrando que a fazenda é incentivada pelo Programa Leitão Vida no estágio avançado e lembrou que a fazenda faz a produção circular. “Temos que trabalhar sustentabilidade, economia e combustível limpo e renovável. O projeto é autossustentável e traz economia”, enfatizou.

“O Governo que dita as regras. Ele que cria. Temos aqui um grande apoio do Governo que é o programa Leitão Vida. Vendemos 160 mil cevados por ano e destes cerca de 80 mil são incentivados. Então o retorno é muito bom”, completa o suinocultor.

“É a teoria que se torna prática e fecha um ciclo virtuoso de produção sustentável de metas almejadas pelo Governo do Estado”, comemorou o secretário de Meio Ambiente, Desenvolvimento, Ciência Tecnologia e Inovação (Semadesc) Jaime Verruck.

Ele destacou que a iniciativa atende a proposta do Governo de ser Sustentável e Verde. “O aumento da demanda por energias renováveis, o biometano produzido pela nova solução tem potencial para se tornar uma alternativa viável ao diesel e outros combustíveis fósseis. Além disso, a produção de biometano a partir de resíduos de suínos contribui para reduzir as emissões de gases de efeito estufa, tornando a solução ecologicamente correta”, acrescentou, lembrando que no Estado também está sendo produzido o biometano a partir de vinhaça.

Além disso este tipo de inovação está presente nos programas de incentivos fiscais como o Leitão Vida, e o MS Renovável do Governo do Estado.

Inovador

O sistema de biometano instalado na fazenda produz o gás, que é gerado a partir da decomposição de resíduos orgânicos. O sistema é composto por um biodigestor, sistema de purificação de biogás, gerador, tratores e caminhões pesados, o novo ecossistema é o primeiro do tipo no Brasil e promete revolucionar o mercado de biogás do país.

O lançamento dessa solução inédita no mercado de biometano brasileiro é resultado de uma colaboração bem-sucedida entre New Holland, Iveco Group, Sebigás Cótica e Air Liquide. A iniciativa tem como objetivo explorar as possibilidades da produção de biogás a partir de resíduos de suinocultura, de pecuária e, ao mesmo tempo, promover a utilização de energias renováveis no país.

“Estamos orgulhosos de liderar esta iniciativa para a criação de um ecossistema inovador”, diz Flávio Mazetto, diretor de Marketing de Produto da New Holland Agriculture para a América Latina.

“Acreditamos que essa solução é o futuro da produção de energia limpa no Brasil. Esperamos que ela inspire outras fazendas e empresas a adotarem energias renováveis e ajudem o país a alcançar suas metas de sustentabilidade”, completa.

Suas preferências de cookies

Usamos cookies para otimizar nosso site e coletar estatísticas de uso.