Pesquisar
Close this search box.
Mato Grosso do Sul, 19 de junho de 2024
Campo Grande/MS
Fuente de datos meteorológicos: clima en Campo Grande a 30 días

Casal paulista transforma chácara em negócio com produção de queijos artesanais em Aquidauana

Marcelo Marim Mazetto e Patrícia Takase Mazetto, proprietários da Chácara Bote Certo, formalizam negócio de produção artesanal de derivados do leite com apoio do Sebrae

Casal Marcelo Marim Mazetto e Patrícia Takase Mazetto descobriu oportunidade ao empreender na produção de queijos artesanais. Imagem: Arquivo Pessoal

A cerca de 139 quilômetros de Campo Grande, no distrito de Camisão, município de Aquidauana, o casal paulista Marcelo Marim Mazetto e Patrícia Takase Mazetto descobriu uma oportunidade de empreender na produção de queijos artesanais em uma chácara. A iniciativa deu origem à Chácara Bote Certo, que se dedica à produção artesanal de derivados do leite. Com o auxílio do Sebrae/MS, os empreendedores formalizaram o negócio, aprimoraram a produção e ampliaram a clientela.

Marcelo e Patrícia compraram a chácara em 2015, com a intenção inicial de produzir cachaça. No entanto, acabaram mudando para a produção de leite e queijos artesanais, devido à dificuldade de lidar com todo o trabalho sozinhos. Começaram vendendo leite em saquinhos para a comunidade e, posteriormente, passaram a produzir queijos. “Adquirimos cinco vacas em Campo Grande e iniciamos a venda do leite em saquinhos na vila. A aceitação foi excelente, pois o leite da Jersey é forte e concentrado, ao contrário do leite ‘aguado’ encontrado no mercado atualmente”, pontuou Marcelo.

Queijo frescal trufado com goiabada é um dos produtos comercializados pelo negócio Bote Certo, na região de Aquidauana. Imagem: Arquivo Pessoal

Em meados de 2016, Patrícia teve a oportunidade de participar de um curso sobre produção de queijo e derivados, o que aumentou a aceitação dos produtos e a clientela. A Chácara Bote Certo produz atualmente diversos tipos de queijos, como frescal, frescal trufado com goiabada, frescal trufado com doce de leite, coalho, muçarela nozinho, nozinho temperado, muçarela em barra, coalho, provolone e requeijão de corte. O objetivo da empresa é manter a qualidade do produto artesanal sem aumentar tanto a produção para evitar a perda de qualidade.

Em 2022, os empreendedores formalizaram a empresa e obtiveram o selo municipal de Aquidauana, e agora, com o apoio do Sebrae, por meio do programa Pró Pantanal, buscam a obtenção do selo estadual, que comprova a qualidade do produto e abre portas para novos mercados. “Desde então, temos melhorado constantemente com o auxílio do Sebrae, que nos ajuda na produção, higiene e seguimento das normas desde o leite até o processo de produção. Aprendemos muito ao longo deste ano e estamos em constante evolução”, concluiu Marcelo.

Queijo “nozinho”, outro produto da empresa Bote Certo. Imagem: Arquivo Pessoal

Junto ao casal, o Sebrae atua desde o desenvolvimento da visão de mercado, produção e qualidade até a obtenção de subsídios para análises laboratoriais e procedimentos padrão de higiene operacional. A consultora do Sebrae/MS, Meiryélle Deboleto, destaca o cuidado com a apresentação dos produtos da queijaria como um diferencial no mercado de queijos frescos. “A Queijaria Bote Certo tem um cuidado especial com a apresentação do queijo frescal, o que tem sido um grande diferencial no mercado local. A empresa vem conquistando cada vez mais clientes e consolidando sua presença na região”, afirmou.

Os empreendedores também se preocupam com a preservação do meio ambiente, mantendo as áreas de preservação permanente e adotando práticas sustentáveis. Para tratar o esgoto, foi instalado um biodigestor que utiliza fezes de gado para o tratamento do solo e do esgoto. Para a criação de porcos, o soro proveniente da fabricação dos laticínios é utilizado como alimento, evitando que seja jogado no solo. “Todos esses cuidados contribuem para a preservação do meio ambiente”, disse o empresário.

Produção de queijos é feita de forma artesanal, e empreendedor Marcelo Marim Mazetto (na foto) quer manter qualidade dos produtos. Imagem: Arquivo Pessoal

Marcelo também destacou seus planos futuros, que incluem a melhoria da genética do gado para aumentar a produção diária de leite para 70 ou 80 litros. Além disso, ele destaca a importância de conquistar novos parceiros comerciais e mercados, como a parceria no atendimento aos clientes da vinícola Terroir Pantanal, também localizada na região e que oferece experiências turísticas. Eles integram o projeto Terroir Members e fornecem produtos para o empreendimento, que insere no cardápio oferecido aos turistas. Esta conexão também foi viabilizada a partir do programa Pró Pantanal, que acompanha os dois negócios.

Sobre o Pró Pantanal

O Pró Pantanal – Programa de Apoio à Recuperação Econômica do Bioma Pantanal é uma iniciativa do Sebrae para fomentar atividades econômicas nos eixos do turismo, da economia criativa e do agronegócio existentes no Pantanal.

O programa tem apoio da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), Federação das Associações Empresariais de Mato Grosso do Sul (FAEMS), Instituto do Meio Ambiente de MS (Imasul) e Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Inovação (Semadesc).

Para obter mais informações sobre o programa Pró Pantanal e suas ações, fale com o Sebrae pelo número 0800 570 0800.

Suas preferências de cookies

Usamos cookies para otimizar nosso site e coletar estatísticas de uso.