Pesquisar
Close this search box.
Mato Grosso do Sul, 12 de julho de 2024
Campo Grande/MS
Fuente de datos meteorológicos: clima en Campo Grande a 30 días

Autor de duplo femicídio é condenado a 30 anos de prisão na fronteira

Mãe e filha foram mortas quando chegavam em casa no dia 4 de maio de 2021

Foto: Arquivo

Antônio Cezar Cavalheiro Soares de 39 anos, foi condenado a 30 anos de prisão por matar a ex-companheira Nahiala Victória Rodrigues de 20 anos e a mãe dela, Érika Rodrigues Salomon de 39 anos, no dia 4 de maio 2021, em Ponta Porã – distante 295 quilômetros de Campo Grande.

Soares foi pego quase um ano depois, pois após o crime, ele fugiu para o Paraguai, onde foi preso no distrito de Salud Chiriguelo, em Pedro Juan Caballero em 30 de janeiro de 2022. No julgamento que se iniciou nesta quarta-feira (17), em Ponta Porã, Antônio foi condenado a 15 anos de prisão pelo feminicídio de cada vítima, além das atenuates de impossibilidade de defesa das vítimas.

Naila foi morta quando chegava para trabalhar no Hospital Regional de Ponta Porã. Erika trabalhava no setor de hortifrúti de um mercado a 1.100 metros do hospital e foi morta com tiros na cabeça quando arrumava as frutas para a venda do dia.

Antônio usou duas armas para matar a jovem e a ex-sogra. Em frente ao hospital, na Rua Baltazar Saldanha, ele executou Naila a tiros de pistola 9 milímetros. Cápsulas deflagradas foram recolhidas ao lado do corpo.

No supermercado, na Vila Maria Auxiliadora – a 1 km do hospital –, Antônio usou um revólver para matar Erika com tiros na cabeça, pois não foram encontradas cápsulas deflagradas.

Após denunciar Antônio por violência doméstica, Naila passou a morar com a mãe, no Bairro Kamel Saad, em Ponta Porã. No dia em que a mulher saiu de casa, o criminoso prometeu que iria matá-la se ela o deixasse e se o denunciasse à polícia.

O crime em tese já vinha sendo anunciado, pois a violência contra a mulher já existia. Um mês antes do crime, Nahiala havia sido agredida pelo autor com um chute e uma cusparada no rosto. A jovem chegou a acionar a polícia na ocasião.

Nahiala então continuou a receber ameaças pelo fato de ir morar na casa da mãe. Antes do crime, Antônio também chegou a fugir com o filho do casal, que na época tinha cinco meses.

A criança e uma filha adolescente da jovem, ficaram com parentes de Nahiala após o crime.

Depois do duplo feminicídio, o autor fugiu para o Paraguai. No dia em que foi preso, Antônio portava uma pistola.

Suas preferências de cookies

Usamos cookies para otimizar nosso site e coletar estatísticas de uso.