Pesquisar
Close this search box.
Mato Grosso do Sul, 19 de junho de 2024
Campo Grande/MS
Fuente de datos meteorológicos: clima en Campo Grande a 30 días

Lula diz que Pochmann é 100% íntegro e que Tebet sabia de indicação

Marcio Pochmann foi escolhido por Lula, na semana passada, para chefiar o IBGE. O nome do economista foi criticado

Economista Marcio Pochmann e Ministra Simone Tebet/ Davilym Dourado

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) fez, nesta terça-feira (1º/8), a 8ª live semanal. Na transmissão, Lula saiu em defesa do novo presidente do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Marcio Pochmann, que teve o nome criticado quando a possibilidade foi ventilada. Para Lula, o economista é “100% íntegro”.

“Não é aceitável tentarem criar uma imagem negativa de uma pessoa da qualificação do Pochmann. Ele é um dos grandes intelectuais desse país. É um rapaz extremamente preparado. Eu confio na capacidade intelectual dele. Ele é um pesquisador exímio. Ficaram colocado dúvidas sobre a idoneidade dele. Eu queria dizer que, se tiver 10 pessoas da mais alta idoneidade, uma seria ele”, disse Lula durante a live.

Na fala, o mandatário ainda foi contra a informação dada pela ministra do Planejamento, Simone Tebet, na última semana, quando, em entrevista coletiva, ela deu a entender que não tinha sido informada da decisão presidencial em indicar o economista para o órgão vinculado à pasta do Planejamento.

“A [Simone] Tebet sabe que ele é meu escolhido há muito tempo e, com muita clareza, ela ponderou que era importante terminar o Censo [demográfico], e terminou. Agora, o Pochmann vai tomar posse como diretor do IBGE. É só isso. O Pochmann é homem 100% íntegro.”, completou o presidente.

“Ele é qualificado, tem consciência política desse país. A Simone [Tebet] não tem nada a ver com isso. Ela é de muita qualidade e seriedade com esse país. Tentaram inventar briga, disseram que eu tava atropelando. Primeiro, que o presidente nunca atropela, faz o que tem de fazer. Atropelar não é o meu jeito de fazer política. Todo mundo sabe que eu penso assim, não tenho política pessoal de Lula ou do governo”, justificou o chefe do Executivo.

Não sabia da indicação

O imbróglio teve início na noite de quarta-feira (26/7), quando o ministro-chefe da Secretaria de Comunicação da Presidência da República, Paulo Pimenta, confirmou para a imprensa que Lula havia escolhido Pochmann para chefiar o IBGE.

A ministra do Planejamento e Orçamento, Simone Tebet, admitiu, no início da tarde de quinta-feira (27/7), que só soube do nome pela fala de Pimenta.

“Quero deixar muito claro que já havia um consenso, dentro do meu ministério e do Palácio do Planalto, de que nós faríamos, no momento oportuno, a troca do presidente do IBGE”, afirmou Tebet a jornalistas, ao chegar ao Ministério da Economia para se reunir com o colega Fernando Haddad.

“Também fui avisada, não é de agora, faz alguns dias, de que o presidente da República teria um nome e gostaria de fazer uma escolha pessoal para a presidência do IBGE“, seguiu a ministra, dizendo não ter perguntado o nome.

Pochmann é professor da Unicamp e considerado um economista heterodoxo, antiliberal. A iminente nomeação é criticada por analistas mais ligados ao mercado financeiro e pela oposição ao governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Segundo Tebet, o próprio presidente indicou o novo ocupante do posto na autarquia. A ministra ainda destacou que vai respeitar a decisão e o nome designado.

Suas preferências de cookies

Usamos cookies para otimizar nosso site e coletar estatísticas de uso.