Pesquisar
Close this search box.
Mato Grosso do Sul, 20 de junho de 2024
Campo Grande/MS
Fuente de datos meteorológicos: clima en Campo Grande a 30 días

Policiais são capacitados para atender vítimas de racismo nas delegacias do MS

Estado é o terceiro no País com a maior taxa de crimes de injúria racial

Divulgação

Como parte do movimento “MS Contra o Racismo”, agentes da Polícia Civil passam a receber a partir desta segunda-feira (31) módulos de 40 horas com temáticas sobre o racismo e a injúria racial.

A capacitação para atender as vítimas de racismo será ministrada por delegados da Polícia Civil, professores universitários e membros de movimentos sociais.

As ações são comandadas pela Secretaria de Estado de Assistência Social e dos Direitos Humanos (Sead), via Secretaria Executiva de Direitos Humanos e Subsecretaria de Estado de Políticas Públicas para a Promoção da Igualdade Racial, e contam com o apoio do delegado-geral da Polícia Civil, Roberto Gurgel.

“O racismo é algo inaceitável e a nossa ideia é capacitar todos os nossos policiais civis para que saibam tratar e tipificar os casos, atender as demandas, acolher as vítimas em todos os cantos de Mato Grosso do Sul”, garante o Delegado-Geral Roberto Gurgel Filho.

O secretário de Estado de Justiça e Segurança Pública, Antonio Carlos Videira, explica que as capacitações na segurança pública têm sido voltadas aos temas mais demandados, bem como ao atendimento especializado às vítimas. “Nós queremos ampliar cada vez mais o atendimento especializado e também humanizado a todos aqueles que precisarem da segurança pública”, afirma.

Presente na abertura do curso, a desembargadora Jaceguara Dantas destacou que o racismo é uma prática histórica, política e cultural que visa justificar e sustentar a desigualdade entre os seres humanos. “Por isso a instituição policial é de extrema importância no combate ao racismo, porque atua na pacificação dos conflitos. E esse curso é importante porque traz conceitos, percepções e sobretudo, vem a acrescer à atividade policial”, disse.

Homenagem
O curso é ainda uma homenagem ao Deputado Estadual Amarildo Cruz, falecido em março deste ano, que teve como principais bandeiras o combate ao racismo, os direitos humanos, o serviço público, a defesa dos mais vulneráveis e as causas sociais.

Simone Lucena do Nascimento, esposa de Amarildo, participou da abertura do curso, recebeu flores e uma placa de homenagem ao Deputado. “O combate ao racismo era uma das maiores bandeiras do Amarildo e esse curso representa a continuidade do legado que ele deixou”.

Sobre o curso
As formas de combate ao racismo e injúria racial, dentro das delegacias, serão ministradas em 20 horas aulas de curso e por professores multidisciplinares, visando a capacitação dos policiais civis. A capacitação será realizada de forma híbrida, com participações dos alunos de forma presencial e on-line. Ao todo, o curso conta com 40 alunos, da capital e do interior do Estado.

Na grade do curso estão conteúdos relacionados aos direitos humanos e ao combate à discriminação na formação e capacitação dos policiais, com o objetivo de revolucionar as práticas de rotina dos servidores em atuação nas unidades da Polícia Civil, contribuindo assim para fazer dos policiais civis agentes de transformação no combate à reprodução do racismo estrutural.

Sobre Amarildo Cruz
Natural de Presidente Epitácio, Amarildo Valdo da Cruz chegou a Mato Grosso do Sul aos 18 anos, em 1981, após ser aprovado em concurso para fiscal tributário estadual. É graduado em Direito e em Ciências Contábeis, pós-graduado em Gestão Pública e especialista em Ciências de Direito.

Filiado ao Partido dos Trabalhadores desde 1984, Amarildo ocupou os cargos de presidente e tesoureiro no Diretório Estadual do Partido. Foi um dos fundadores e presidiu o Sindicato dos Fiscais Tributários do Estado (Sindifiscal/MS). No governo do estado, foi superintendente da Central de Compras.

Entre 2003 e 2006, foi diretor-presidente da Agência de Habitação Popular (Agehab), na gestão de Zeca do PT. Deixou o cargo para concorrer a deputado estadual, sendo eleito pela primeira vez.
Em 2006, conquistou uma cadeira na Assembleia Legislativa com quase 18 mil votos. Em 2010, concorreu à reeleição, ficando como 2º suplente em sua coligação. Já em 2013, retornou ao parlamento de Mato Grosso do Sul.

Em 2014, foi reeleito para o terceiro mandato com 20.585 votos. Primeiro suplente do PT, Amarildo assumiu em 1º de junho de 2021 novamente como deputado estadual, após falecimento do deputado estadual Cabo Almi em decorrência da Covid-19.

Nas eleições de 2022, Amarildo foi eleito deputado estadual com 17.249 votos para o seu quinto mandato. No parlamento, o parlamentar priorizava o Meio Ambiente, Igualdade Racial, Habitação e Saúde.

Suas preferências de cookies

Usamos cookies para otimizar nosso site e coletar estatísticas de uso.