Pesquisar
Close this search box.
Mato Grosso do Sul, 15 de abril de 2024
Campo Grande/MS
Fuente de datos meteorológicos: clima en Campo Grande a 30 días

Homem é suspeito de matar e pendurar tucano em árvore

A pena para este crime é de detenção de seis meses a um ano, e multa

Foto: Divulgação/PC-MS

A Polícia Civil conseguiu identificar nesta segunda-feira (3) um homem de 32 anos que matou um tucano e o pendurou em uma árvore, em Água Clara que fica a 192 Km de Campo Grande. O indivíduo será responsabilizado por maus-tratos, conforme a legislação vigente.

Segundo as informações obtidas, por volta das 15h30 a Polícia Civil recebeu um alerta do Portal Água Clara, informando que um tucano havia sido encontrado morto e pendurado pelos pés em uma árvore no centro da cidade. Uma equipe foi enviada ao local e confirmou o fato, notando que o cordão utilizado para amarrar o animal era similar a uma ferramenta de pedreiros conhecida como prumo.

Após as investigações, descobriu-se que havia uma construção em andamento próxima ao local do ocorrido. Os trabalhadores foram entrevistados e afirmaram desconhecer o que havia acontecido. Posteriormente, a equipe recebeu uma denúncia anônima de que um dos pedreiros da obra teria confessado ter encontrado o tucano morto ali.

O responsável pela obra foi interrogado e admitiu ter trocado o cordão de um de seus prumos, que era compatível com o utilizado para amarrar o tucano. Ele também mencionou que um dos seus funcionário, que não teve o seu nome divulgado pela policia, tinha histórico de maus-tratos a animais, inclusive arremessando pedras neles.

O suspeito foi levado à delegacia para prestar depoimento, quando confessou ter amarrado o tucano na árvore, porém negou tê-lo matado. Ele enfrentará acusações de acordo com o artigo 29 da Lei 9605/98, que trata do crime de matar, perseguir, caçar, apanhar ou utilizar espécimes da fauna silvestre, nativos ou em rota migratória, sem a devida permissão, licença ou autorização das autoridades competentes.

Caso seja condenado, o indivíduo poderá cumprir uma pena de detenção de seis meses a um ano, além de estar sujeito ao pagamento de multa. As autoridades responsáveis esperam que esse incidente sirva como exemplo para a conscientização sobre a importância da proteção e do respeito à vida animal.

Suas preferências de cookies

Usamos cookies para otimizar nosso site e coletar estatísticas de uso.