Pesquisar
Close this search box.
Mato Grosso do Sul, 19 de abril de 2024
Campo Grande/MS
Fuente de datos meteorológicos: clima en Campo Grande a 30 días

Reco do Bandolim estrela o Mosaico Federal nesta semana

Um dos maiores nomes da música brasiliense bateu um papo com a jornalista Charlotte Vilela

Foto: Divulgação

Neste episódio do Mosaico Federal, a jornalista Charlotte Vilela entrevista o baiano radicado em Brasília Reco do Bandolim. Um dos maiores nomes da música instrumental brasiliense, Reco falou sobre sua trajetória, o ingresso no Choro, os shows pelo mundo afora e muito mais.

Henrique Lima Santos Filho se mudou para Brasília ainda menino. Começou sua carreira de músico na capital, participando de bandas de rock como guitarrista na década de 1980, o que lhe rendeu o apelido de Jimi Reco, em alusão ao músico Jimi Hendrix. Logo depois, foi seduzido pelo bandolim e pelos discos do mestre Jacob Bittencourt (Jacob do Bandolim), o que o levou a deixar a guitarra de lado, aderir de corpo e alma ao Choro e tornar-se o Reco do Bandolim.

Reco participou do grupo de fundadores do Clube do Choro de Brasília, em 1978, e forjou seu estilo em rodas musicais ao lado dos mestres como Waldir Azevedo, Avena de Castro, Alencar 7 Cordas, Armandinho Macedo e Pernambuco do Pandeiro. Presidente do Clube do Choro de Brasília e fundador da Escola Brasileira de Choro Raphael Rabello, a primeira escola de choro do país, Reco do Bandolim é também jornalista profissional e radialista.

Reco também faz parte do grupo Choro Livre, grupo musical que já se apresentou em palco com monstros sagrados da MPB, como Nelson Cavaquinho, Clementina de Jesus, Dona Ivone Lara, Waldir Azevedo, Paulinho da Viola, entre tantos outros. O conjunto já excursionou pela Europa, Ásia, África, América do Sul e América do Norte.

Reco do Bandolim e Charlotte Vilela nos estúdios do JBr.

Confira o episódio completo a partir das 18h desta sexta-feira (19/05):

Suas preferências de cookies

Usamos cookies para otimizar nosso site e coletar estatísticas de uso.