Pesquisar
Close this search box.
Mato Grosso do Sul, 24 de julho de 2024
Campo Grande/MS
Fuente de datos meteorológicos: clima en Campo Grande a 30 días

Uso de cabines para alongamentos e esmaltação em gel pode causar câncer

Especialista aponta alergias e doenças desencadeadas pelo procedimento e alerta para o uso de protetor solar

Divulgação

Fórmulas e equipamentos ganham cada vez mais espaço na lista de aquisições dos brasileiros quando o assunto é beleza. A busca pela boa aparência muitas vezes é saciada pela adoção de métodos apresentados pelo mercado, como se não oferecessem risco algum à saúde. As cabines de unha, usadas em procedimentos estéticos, são exemplos de que é preciso atenção.

Nos últimos dias, um vídeo publicado no TikTok trouxe à tona os questionamentos sobre alongamentos e esmaltação em gel, quando uma influenciadora de Singapura mostrou a surpresa ao notar a diferença no tom de pele das mãos ao fazer a unha.

Ainda que pareça simples, a aplicação não é indicada para todos e os males à saúde podem ser a curto ou longo prazo, como explica a dermatologista e professora do curso de Medicina da Uniderp, Thamires Gorga. “Não se deve negligenciar a gravidade que alguns procedimentos estéticos podem causar. A longo prazo, os danos serão sérios podendo levar até a um câncer de pele, por exemplo. A radiação pode provocar ainda urticária solar, gerando um enorme desconto nas mãos que foram expostas”, destaca a médica.

Uma pesquisa desenvolvida em uma universidade de San Diego, nos Estados Unidos, e publicada em janeiro desse ano pela revista Nature Communication, aponta resultados de testes realizados em três linhagens de células que confirmam os danos no DNA e mutações mediante a exposição dos raios.

A luz ultravioleta (UV) é um tipo de radiação eletromagnética e, no caso dos procedimentos estéticos são utilizadas para secar os esmaltes no formato de gel, que são oligômeros que requerem exposição à radiação UV para endurecer em polímeros. À primeira vista, parece inofensivo, mas quando analisada a periodicidade das aplicações e das chamadas manutenções (em média a cada 15 dias), relatórios recentes sugerem que o uso prolongado pode aumentar o risco tende a aumentar, chegando até a desenvolver câncer de pele.

A médica destaca que não há frequência no uso que não seja danosa, já que toda exposição à radiação UV pode desencadear doenças. No entanto, alerta para a importância do uso de filtro solar e luvas de proteção UV, como as de modelo que deixam a ponta dos dedos expostas apenas para esse tipo de aplicação. Um médico especialista deve ser procurado antes de fazer o primeiro uso desses secadores de esmalte e sempre que reações, manchas ou irritações surgirem nos dedos, dorso e mãos.

Suas preferências de cookies

Usamos cookies para otimizar nosso site e coletar estatísticas de uso.