Pesquisar
Close this search box.
Mato Grosso do Sul, 20 de abril de 2024
Campo Grande/MS
Fuente de datos meteorológicos: clima en Campo Grande a 30 días

Infectologista esclarece dúvidas sobre eficácia e efeitos da nova vacina contra a dengue que passa a ser aplicada na próxima semana, em todo o País

Imunizante, inicialmente, estará disponível apenas na rede privada de saúde com preço médio de R$300

Foto: Fabio Nunes Teixeira

O início de 2023 assustou os órgãos da Saúde com o número alarmante de casos de dengue no cenário nacional. Nos primeiros cinco meses, foram registrados mais de 1 milhão de casos que resultaram em cerca de 500 mortes.

A partir da próxima semana, passa a ser disponibilizado na rede particular de saúde de todo o País, o segundo imunizante contra a dengue, autorizado no Brasil. Desenvolvida pelo laboratório japonês Takeda Pharma, a vacina leva o nome Qdenga e tem o registro aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), em março deste ano.

Desde 2016 já havia registrada no Brasil a vacina Dengvaxia, do laboratório Sanofi Pasteur, mas que só pode ser utilizada por quem já teve dengue.

Médico infectologista e professor do curso de Medicina da Unic, Thiago Rodrigues esclarece as dúvidas mais frequentes sobre a vacina.

Quem pode ser vacinado?

Pessoas de 4 a 60 anos que já tenham ou não sido infectado pelo vírus da dengue.

Onde encontrar o imunizante?

A princípio, será aplicado apenas na rede privada, como clínicas, laboratórios e farmácias. O valor de cada dose será de R$301,27 a R$402,05, conforme o preço tabelado pela Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos.

Quantas doses da Qdenga devo tomar?

O esquema vacinal é de duas doses, com intervalo de três meses entre as aplicações.

A Qdenga é segura e eficaz?

O imunizante é o segundo a ser comercializado no Brasil e é composto por quatro sorotipos diferentes do vírus causador da doença. Nos testes clínicos, a Qdenga apresentou eficácia global de 80,2% contra a dengue causada por qualquer sorotipo após 12 meses da segunda dose, além de reduzir as hospitalizações em 90%. No fim de 2022 o uso do imunizante foi liberado na União Europeia.

Quais os efeitos da vacina?

Durante o período de testes, as reações adversas apontadas foram: dor no local da picada, vermelhidão, fraqueza, mal-estar e febre.

Há alguma contraindicação?

É contraindicada para quem tem alergia aos componentes da vacina e para indivíduos em condições de imunodeficiência (AIDS, em quimioterapia, em uso de imunobiológicos, transplantados).

Quando o imunizante estará disponível na rede pública?

Sem prazo definido, a liberação da Qdenga pelo SUS aguarda liberação da Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS (Conitec) para aplicação na rede pública.

O início de 2023 assustou os órgãos da Saúde com o número alarmante de casos de dengue no cenário nacional. Nos primeiros cinco meses, foram registrados mais de 1 milhão de casos que resultaram em cerca de 500 mortes.

A partir da próxima semana, passa a ser disponibilizado na rede particular de saúde de todo o País, o segundo imunizante contra a dengue, autorizado no Brasil. Desenvolvida pelo laboratório japonês Takeda Pharma, a vacina leva o nome Qdenga e tem o registro aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), em março deste ano.

Desde 2016 já havia registrada no Brasil a vacina Dengvaxia, do laboratório Sanofi Pasteur, mas que só pode ser utilizada por quem já teve dengue.

Médico infectologista e professor do curso de Medicina da Unic, Thiago Rodrigues esclarece as dúvidas mais frequentes sobre a vacina.

Quem pode ser vacinado?

Pessoas de 4 a 60 anos que já tenham ou não sido infectado pelo vírus da dengue.

Onde encontrar o imunizante?

A princípio, será aplicado apenas na rede privada, como clínicas, laboratórios e farmácias. O valor de cada dose será de R$301,27 a R$402,05, conforme o preço tabelado pela Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos.

Quantas doses da Qdenga devo tomar?

O esquema vacinal é de duas doses, com intervalo de três meses entre as aplicações.

A Qdenga é segura e eficaz?

O imunizante é o segundo a ser comercializado no Brasil e é composto por quatro sorotipos diferentes do vírus causador da doença. Nos testes clínicos, a Qdenga apresentou eficácia global de 80,2% contra a dengue causada por qualquer sorotipo após 12 meses da segunda dose, além de reduzir as hospitalizações em 90%. No fim de 2022 o uso do imunizante foi liberado na União Europeia.

Quais os efeitos da vacina?

Durante o período de testes, as reações adversas apontadas foram: dor no local da picada, vermelhidão, fraqueza, mal-estar e febre.

Há alguma contraindicação?

É contraindicada para quem tem alergia aos componentes da vacina e para indivíduos em condições de imunodeficiência (AIDS, em quimioterapia, em uso de imunobiológicos, transplantados).

Quando o imunizante estará disponível na rede pública?

Sem prazo definido, a liberação da Qdenga pelo SUS aguarda liberação da Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS (Conitec) para aplicação na rede pública.

Suas preferências de cookies

Usamos cookies para otimizar nosso site e coletar estatísticas de uso.