Pesquisar
Close this search box.
Mato Grosso do Sul, 20 de abril de 2024
Campo Grande/MS
Fuente de datos meteorológicos: clima en Campo Grande a 30 días

PF marca data para novo depoimento de ex-secretário Anderson Torres

Ex-ministro de Bolsonaro será ouvido no inquérito que apura a atuação da Polícia Rodoviária Federal (PRF) no segundo turno das eleições

(crédito: Minervino Júnior/CB/D.A Press)

A Polícia Federal marcou para segunda-feira (8/5) um novo depoimento do ex-secretário de Segurança Pública do Distrito Federal Anderson Torres.

A corporação cumpriu uma determinação do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes, que determinou que a oitiva ocorresse até 8 de maio. O ex-ministro de Jair Bolsonaro (PL) será questionado no âmbito do inquérito que investiga a atuação da Polícia Rodoviária Federal (PRF) no segundo turno das eleições para impedir que eleitores do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) chegassem às urnas.

Inicialmente, esse depoimento estava marcado para 24 de abril, mas devido o estado de saúde do ex-secretário, a PF decidiu adiar a oitiva.

Nova data

A nova data foi estipulada por Moraes depois que Torres passou por avaliação médica, “que atestou que as medicações do preso foram ajustadas e que tem tido acompanhamento médico frequente”. Sendo assim, o ministro do STF determinou que, até dia 8 de maio, o ex-secretário seja ouvido “em horário a ser definido pela autoridade policial”.

“Oficie-se a Direção do estabelecimento prisional onde Anderson Gustavo Torres encontra-se para que providencie as condições necessárias para a realização de sua oitiva, inclusive mediante escolta policial para o deslocamento”, determinou Moraes.

Um laudo, assinado psiquiatra Bruno Brunelli, da Gerência de Serviços da Atenção Primária Prisional, demonstra que Torres encontra-se em um bom estado geral, e que não há possibilidades de Torres tirar a própria vida. O documento, enviado pelo comandante-geral da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) Klepter Rosa ao STF, também aponta que não há necessidade da transferência do ex-secretário para um hospital penitenciário.

Suas preferências de cookies

Usamos cookies para otimizar nosso site e coletar estatísticas de uso.